quarta-feira, 16 de julho de 2014

O Palhaço das Massas*



I
...
(...)
"Óh! O Palhaço das Massas!"
...

II

...
(...)
...

(...)*

Saudades da Terra Mineira



Jerusalém permanece em Israel
E o mundo é a extensão de Minas Gerais
Eu oro a Deus que deixe-me entrar
Em Nova Jerusalém, terra santa, terra mineira

Aqui o horizonte é formoso e extenso
E a visão ampla leva os habitantes daqui a introspecção
O convite para o contemplar
As paisagens e as almas daqui altas como as montanhas

Vejo ao longe a romaria
“Vem aqui peregrinar!”. Convida Minas Gerais
E presto poetas e profetas atendem ao chamado
“Venha cear conosco”. Convida o Povo das Montanhas

Porque aqui o verso corre mais livre
Aqui o cantar transcende a distância
E nestas praças os amores são mais belos
E nesses bares a amizade mais verdadeira

Celebremos a vida minha amadas amizades
Neste Templo-Lar erguido por Deus
E permita o eterno, o bom e o belo
Trazer-nos de volta à Minas Gerais

O que sei das Mulheres



Ora, o que eu sei das mulheres
Ah! É...
Ah! Sei lá!
Eu sei alguma coisa...

É mais ou menos...
(Suspiro!) Ah! Bom!

Elas tem em comum com nós homens
22 pares de cromossomos
A diferença é que nós temos X e Y
E elas tem X, Y mais Alfa e Ômega

Elas tem um monte de coisas
Que a gente não sabe explicar
Assim nós temos nosso compêndio de mitologia
E toda religião dedica tempo para explicar elas
A Criação do Universo
A Criação da Mulher

Elas tem um monte de coisas engraçadas
Porque têm um cerébro muito doido
Que dá a elas a capacidade paranormal
De pensar várias coisas simultaneamente
De enésimos sentidos e obtenção de informações ultrassensoriais
E adivinhar o que os seres humanos sentem antes de abrirem a boca

(É muita doidera na cabeça das mulheres!)

As mulheres sabem que a gente não entende bem elas
Que sabemos que elas são de Vênus e ao mesmo tempo do Planeta Terra
E por isso elas produzem vários manuais
Milhares de informações massivas para elas explicarem o que são
São fabricados ao redor do globo um monte de verdades escancaradas
(Para elas, porque para nós são um monte de mensagens subliminares!)

As mulheres são cheias de expressões
São cheias de detalhes
Elas sabem fazer maquiagem
E preocupam-se em se vestirem bem
Porque faz parte da espiritualidade delas
Esses rituais de beleza sócio-religiosos
Esses rituais de exercícios de abstração
De alquimia e experimentações artistico-cientifícas

A gente também sabe porque não confiamos nelas
E porque juramos de pé juntos
Que elas não são amigas uma das outras
Porque elas tem um poder bélico
Três vezes maior que o nosso (no mínimo!)
Porque sabem direcionar as palavras
Porque elas sabem os pontos vitais
Porque elas sabem Kung-Fu
E são dóceis e lindas!
(Não vou me enganar!)

Elas são as que fazem com que a gente
Façamos arte e músicas românticas
E também umas músicas intelectuais
Para tentar impressioná-las
A gente faz um monte de coisas
Inventamos um monte de coisas novas
Porque sabemos que elas não gostam de cair na rotina
E apesar de todo nosso esforço nós é que somos impressionados... Rotineiramente.

Tudo bem, eu não sei de nada!
Nada! Nada! Nada!
Não sei nada das mulheres!

Eu posso falar o que todos nós sabemos
O que eu sei de mim
Eu gosto delas

Nós amamos elas!
Nós precisamos delas!
Giramos em volta do mundo delas e só sabemos disso

Vida de Intelectual II



Eu acordo, antes de levantar
Incendeio meu quarto
E penso em você
Não irei arrumar o quarto
Penso em você...

Eu escuto bossa nova
MPB, música erudita
World Music, Jazz
Coisas intelectuais
Escuto música que me faz pensar
Que tenha poesia e melodias complexas

Então é hora do pensamento
É hora de pensar em sexo
A minha masturbação é fina:
É mental!
É refinada, é sublime
É bem-informada, pós-graduada
P.H.D e técnica em informática

Não! Não curto entretenimento do povo
Prefiro a minha vida
Não uso palavras pobres
Escrevo com Patrocínio do Aurélio
Sou sambista, mpbista
Sou brazileiro, sou jazzista
Sou jornalista do extraordinário
Sou um observador, não fofoqueiro
Sou o colunista incompreendido do Jornal

Sou jornalista, sou mais importante que os fatos
Sou ridículo, sou chato, sou intelectual
Minha masturbação é mental
Sou o bardo errante a cantar tratados

Sou vacilante, sou vacilão
Sou errante, errado: Retardado
Sou estúpido e medíocre
Sou lacaio do Aurélio

Sou estúpido, odeio Rock’n Roll
Defendo a pureza brazileira
Me rastejando para os gringos
Sendo o bobo-da-corte bonito e divertido
Sendo bem aceito por tocar violão
Dum jeito que eles não conseguiram tocar
Sou estúpido, estúpido, ridículo

Sou ridículo, pusilânime, mentecapto
Que se dane o Aurélio
O PORTUGUÊS SOU EU
O importante é ser intelectual
Minha masturbação é mental

Eu estou junto as pessoas
E não vejo ninguém
Estou a exercer meus caprichos
E esquisitices
Esperando alguém intelectual aparecer
Mas se não aparecer
Eu não pego ninguém
E vou embora do Shopping