quinta-feira, 23 de julho de 2015

Nunca quis escrever um Grande Poema

     Nunca quis escrever um grande poema. Nunca quis mesmo. Longe de mim esta pretensão.
Por quê ao invés de escrever, não deixamos apenas o coração fluir em palavras. Derramar mesmo nossa alma. Para que complicar, se sabemos exatamente aquilo que a nossa alma canta, o caminho que nos encanta e os sonhos que nos leva a realizar? Por isso, desde de muito tempo em pazes feitas definitivamente com a simplicidade, nunca carreguei comigo a pretensão de grandes poemas.

     Para quê organizar excursões para darmos voltas em círculos diante do queremos que seja verdadeiro? Para quê queremos ficar do alto da Montanha contemplando o Jardim do Amor se ao invés de escalar, bastava uma simples e direta caminhada? Se o amor nos é coisa tão urgente e tão cara, por que caprichos de amores difíceis e impossíveis? Por que ninguém quer amar fácil e ser fácil de amar? Que virtude é essa que torna o Amor coisa necessária em peça rara de difícil aquisição? Quem é que torna uma doce mensagem e uma feliz prática em papiros pertencentes as estrelas mais distantes? Virtudes são consequências de Amar e não pré-requisito. Por isso, nunca tive vaidades a se fingirem de necessidades para me escravizar a falsa vontade de grandes poemas. Graças a Divindade. Este problema não me pertence.

Grandes Amores, Grandes Amares são mais importantes do que grandes poemas.
Grandes Amizades são mais importantes que grandes poemas.
Eu continuo desviando do caminho que me leva a senda dos grandes poemas e me aparta dos grandes horizontes das grandes coisas da vida.
Grandes Obras e Grandes Memórias, valem mais.
Conhecer Grandes Pessoas, valem mais e valorizam mais.
A Vida e o Ser se beneficiam destas Grandes Maravilhas.
Muito mais do que um Grande Poema.

Mas se não podes abster-se de Poesia.
Colha cada dia.
A Cada dia sua mensagem, sua Poesia e uma nova forma de amar.

Toma nota de cada pensamento quando fostes ver o Céu Estrelado
Tu sabes que cada Estrela é conhecida por nome pela Divindade
Ore a Divindade para que te apresente a cada uma delas tais irmãs
Saiba que os pensamentos que te visitam são mensagens enviadas
Ora, desperta teu coração e responda também com a estrela que há em ti
E lembras de fazer isso nas manhãs ao Sol teu irmão e teu parceiro fiel
Lembre-se que não serás esquecido de tua irmã Lua a enviar ondas de Amor em todo momento
Sem esquecer que no dia suas irmãs continuam lá
É só perceber e lembrar
Mas isso você irá fazer, por que digo isso?
Quem é que se esquece da família?
Quem está em família não esquece de ninguém
Ah! Amizades minhas! Como vocês vêm fácil em meu coração esta noite!
Não sei se a ternura com que vos acolherei vem de vós ou vem de mim
Me entrego a esta indagação até poder abandonar este mistério em seus braços

Venham aqui Almas incomparáveis! Venham cá e nada de grandes poemas.
Um verso de cada vez, uma melodia após outra
Que a poesia não precisa de monumentos
Para acompanhar o Dia e Abençoar as Noites
Tais vocês a abençoarem os movimentos do Tempo comigo
Com um verso de cada vez, um sorriso de cada vez

E com um pequeno poema de cada um e de cada presente da Vida
Vamos formar juntos a mais grandiosa Poesia
O que encontramos para continuarmos a nos encontrar